ASPECTOS ECONÓMICOS E SOCIAIS

ASPECTOS ECONÓMICOS E SOCIAIS

A Freguesia é económica e socialmente desfavorecida, em fase de involução, motivada pelo encerramento, há poucos anos, da Companhia Portuguesa dos Fornos Eléctricos (C.P.F.E.) e do espectro de fecho da Empresa Nacional de Urânio (E.N.U.).

Estas Empresas asseguravam mais de 1000 postos de trabalho dependendo delas a grande maioria da população da Região.

Esta situação causou graves perturbações na população geral e escolar, não só por uma precária situação económica do agregado familiar mas, sobretudo, por uma alteração das condições normais de vivência, motivadas por migrações forçadas.

A mão de obra qualificada das empresas extintas, foi objeto de procura por outros agentes empregadores, gerando uma nova forma de vida na grande maioria da população dependente daquelas unidades fabris.

A restante população ativa dedica-se maioritariamente à agricultura, com pequenas explorações em regime de subsistência ou como complemento da atividade principal. Destaca-se o cultivo da vinha, que tem nesta região demarcada (Região Demarcada de Vinhos do Dão) alguns dos melhores espécimens de vinhos nacionais

As diversas situações detetadas no dia a dia são reveladoras de algumas carências, quer económicas quer sociais. Basta, para tal, constatar as condições em que vivem algumas famílias, as candidaturas a Bolsas de Pobreza, ao Rendimento Mínimo Garantido e aos apoios sócio-económicos, junto dos Serviços do ASE da escola